Por que a Lua não cai na terra?

Isaac Newton analisou o movimento da lua e chegou a uma descrição perfeita, uma descrição que poderia ser utilizada tanto para os astros como para objetos menores na terra. Essa teoria é descrita em três leis, conhecidas como as leis de Newton.

A primeira Lei de Newton é a lei da Inércia: Na ausência de forças externas, um objeto em repouso permanece em repouso, e um objeto em movimento permanece em movimento.

Ao lado temos mais uma ilustração do amigo Tainan Rocha.

A segunda Lei de Newton ou princípio fundamental da dinâmica diz que, a força aplicada a um objeto é igual à massa do objeto vezes a aceleração.

A terceira Lei de Newton é a Lei da ação e reação: Se um objeto exerce uma força sobre outro objeto, este outro exerce uma força de mesma intensidade, de mesma direção e em sentido oposto.

Com estas três leis chega-se a Lei da Gravitação Universal. Que propõem que dois corpos, a uma distância d entre si, se atraem mutuamente com uma força que é proporcional à massa de cada um deles e inversamente proporcional ao quadrado da distância (d) que os separa.

Bem, sabemos que a lua descreve uma órbita quase que circular (na verdade é uma orbita eliptica, onde a Terra esta em um dos focos) em volta da Terra, e esta é atraída pelo campo gravitacional da Terra. Então, por que a lua não cai na Terra?

A força de atração gravitacional, do sistema Lua-Terra, gera uma aceleração centrípeta que aponta para o centro da Terra. Esta aceleração muda a direção da velocidade da Lua constantemente, mantendo-a tangente à órbita da Lua e é esta velocidade a responsável pela órbita da Lua ao redor da Terra.

Um exercício mental bem comum para exemplificar este caso é:

Imagine que você, estando no alto de uma montanha, pudesse jogar uma pedra que atingisse uma grande velocidade. Bem, a pedra cairia bem longe. Mas, e se você colocasse cada vez mais velocidade no lançamento? Bem, a pedra entraria em órbita quando chegasse a uma velocidade suficiente para isso.

Abaixo temos uma imagem comum para este exercício, a ilustração foi tirada do livro “Princípios Matemáticos da Filosofia Natural” de Isaac Newton e mostra um projétil atirado do alto de uma montanha.

Agora você já sabe que a Lua não cai na Terra porque sua velocidade a mantém em órbita, ou seja, a Lua tem um movimento de queda permanente.

Será que você está estudando da maneira certa?

Nem todo mundo sabe estudar, é claro que saber estudar é algo um pouco subjetivo. Não vou entrar no mérito da pedagogia para não levantar grandes discussões. O certo é que cada um de nós aprende de uma maneira diferente e cada um tem suas preferências na hora de estudar. Só que tem alguns hábitos e comportamentos que podem ajudar a aprender mais, se organizar nos estudos, conseguir mais atenção, foco e isso vai aumentar o poder de concentração atenção, aumentando assim a possibilidade de aprender mais conteúdos.

Infelizmente alguns alunos acreditam que estudar é apenas assistir aula, ler um conteúdo e fazer exercícios. E o erro de muitos professores da educação básica é não ajudar esses alunos a encontrarem os melhores caminhos para aprenderem mais. Depois de anos na escola muitos alunos ainda não sabem estudar. As vezes chega na faculdade por um vestibular privado e continua com as mesmas dificuldades. E todos sabem que QUEM NÃO SABE ESTUDAR NÃO É APROVADO.

Para ajudar os alunos a aprenderem a estudar, se prepararem para suas provas da escola, para o vestibular e principalmente para a prova do ENEM, eu elaborei um método de estudos, um passo a passo de como estudar para uma prova. Usando as melhores técnicas de estudos, com a ajuda de conteúdos da neurociência, podemos ter mais foco, organização, motivação e memorização durante os estudos. Quer saber como funciona? Clique aqui nesse link e saiba mais sobre o método Efeito Joule.

7 respostas

  1. Gostei do seu blog! Estou lendo o mundo de Sofia e na parte que fala do renascimento me deparei com muitas coisas que vi na escola, mas que precisei relembrar… Então vim aqui e encontrei explicações claras e simplificadas. Parabéns! Quando meus filhos começarem a estudar ciências, pe esse blog que indico.

  2. Ainda continuo na dúvida sobre a razão da Terra não ser definitivamente atraida, ou repelida, pelo Sol. O que faz manter o equilíbrio entre a força centrípeta e a centrífuga? A Terra teve sorte de ter ficado exatamente no ponto de equilíbrio? Será que há uma tolerância no movimento, deixando a Terra ora sendo mais atraída e ora sendo mais repelida sem comprometer a órbita? Se há essa possibilidade de variação entre as duas forças, o que impede de uma delas se sobressair, colocando a órbita em estado de degradação irreversível? Ou será que o ponto de equilíbrio é absolutamente exato o tempo todo!?
    Essa história, pra mim, ainda não está bem explicada. Se alguém puder me esclarecer, ficarei imensamente agradecido.

  3. Muito Obrigado pela a dúvida , hoje eu tava tendo aula de velocidade centripeta e o professor deu esse exemplo da Porque a lua não cai na terra? ae ele falou das leis de newton e mais tarde disse que a força gravitacional da lua gera uma Acp que aponta para o centro da terra e sua velocidade matem em orbita ja que não existe forças na ausência de forças externas o objeto em velocidade pernamance em velocidade! 😀 showw de bola

  4. Boa tarde, gostei muito desse blog, amo física.
    Tenho uma sugestão, seria bom vocês da equipe do efeito joule, colocassem uma área só de experimentos.
    Obrigado pela atenção.

  5. A hisótia de Newton é realmente atraente! Valeu pelo comentário, já coloquei o seu blog como parceiro do Efeito Joule.

    Abraços

  6. Oi, Vanks, eu li uma biografia ilustrada do Isaac Newton e já me tornei fã deste físico na hora. Interessante o artigo sobre o campo gravitacional da lua.

    Um grande abraço,
    Prof_Michel

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

logo-fundo-transparente

Efeito Joule ®  2021
CNPJ: 22.288.851/0001-14

Vai fazer o ENEM 2021?

Então organize seus estudos, aprenda a estudar e se preparar de verdade para o ENEM.